30.5.15

VOCÊ CONHECE OS BENEFÍCIOS DO GENGIBRE?

O gengibre é utilizado há mais de 2.000 anos. Depois de um tempo popularizou-se pelos seus efeitos benéficos a saúde.

É uma especiaria amplamente usada para aliviar sintomas como inflamação, doenças reumáticas e desconfortos gastrintestinais.
Dentre os seus benefícios comprovados cientificamente podemos citar propriedades:

 Anti-inflamatórias;
 Antináuseantes;
 Antiúlceras;
 Hipoglicêmicas;
Antibacterianas;
 Termogênicas.
O gengibre pode ser consumido cru, na forma de chá e em diversas preparações como mix de frutas e legumes, sopas... Basta usar a criatividade e inserir esse alimento riquíssimo em sabor no seu dia-a-dia.

Se você deseja emagrecimento, a melhor forma é consumi-lo cru. Acrescente raspas de gengibre às preparações depois de prontas, na hora de consumir.

23.5.15

RESPIRAÇÃO DIAFRAGMÁTICA É IDEAL EM MOMENTOS DE ESTRESSE; APRENDA A FAZER






























No mecanismo respiratório existe um músculo que separa o tórax do abdômen chamado diafragma.
O diafragma funciona como uma membrana fazendo com que o abdômen se expanda e se comprima conforme a respiração ocorre. Na inspiração ele desce, expandindo o abdômen e arrastando consigo a base do pulmão, o que aumenta seu volume interno e a sucção do ar. Na expiração, o diafragma vai para cima, comprimindo os pulmões e expulsando o ar.
Esse mecanismo vai se perdendo com a vida sedentária, de modo que em muitas pessoas é como se o diafragma não existisse mais, pois não faz mais esse trabalho. Resta somente a respiração com a parte superior dos pulmões, o que a deixa mais breve e rápida. A repercussão disso é uma menor oxigenação do organismo, bem como o possível aumento de sintomas de ansiedade; uma vez que respirar de maneira rápida causa mudanças fisiológicas, acelerando nosso batimento cardíaco.

Respiração diafragmática
A respiração diafragmática ou respiração profunda é chamada assim porque expande o diafragma e leva o ar rico em oxigênio até o abdômen. É através dessa técnica que se consegue aumentar significantemente a capacidade volumétrica dos pulmões em mais do dobro. Desse modo todo o corpo é mais oxigenado, inclusive o cérebro.
A respiração diafragmática pode ser utilizada por todos nos momentos de tensão e estresse. É o primeiro passo para restabelecer o equilíbrio e também para o relaxamento, desconstruindo o mecanismo de luta ou fuga causado pela respiração torácica. Também é uma excelente ferramenta para quem tem dificuldades para dormir e mesmo para eventos ligados à síndrome do pânico.

Respiração diafragmática: como fazer
• Coloque-se de forma confortável sentado ou deitado;

• Coloque a mão no abdômen (barriga) próxima ao umbigo;

• Feche os olhos e concentre-se em sua respiração;

• Inspire pelo nariz e encha os pulmões de ar, leve-o até o abdômen, percebendo que ele se movimenta. Você pode imaginar que está enchendo uma bexiga que está dentro de sua barriga. Ao inspirar conte até quatro (mentalmente) para que o pulmão e o abdômen fiquem expandidos;

• Retenha o ar por dois tempos (conte até dois mentalmente), mantendo a barriga e os pulmões cheios;

• Expire lentamente pela boca, contando até cinco, esvaziando completamente o pulmão e o abdômen;

• Reinicie os movimentos após reter os pulmões vazios por dois tempos.
Procure efetuar os movimentos respiratórios de tal forma que haja pouco movimento torácico (movimento do peito) e mais movimentos abdominais (movimento de barriga).

Repita dez vezes a respiração ou pratique por aproximadamente três a cinco minutos. Caso você sinta tontura ou veja “bolinhas” ao abrir os olhos, saiba que isso é normal e vai desaparecer. Isso acontece, porque o cérebro recebe mais oxigênio do que está acostumado, mas é interessante ir adaptando o ritmo de forma que fique confortável e não gere sensação de náusea.
É importante que você aprenda a fazer a respiração treinando-a pelo menos uma vez ao dia para ir acostumando seu organismo e torná-la aos poucos mais automática. 

16.5.15

REDUZA O CONSUMO DE AÇÚCAR EM NOME DE SUA SAÚDE


os riscos do açucar
O açúcar é um alimento muito energético, onde sendo consumido com outros alimentos glicêmicos ou até mesmo puro, funciona como uma injeção de glicose direto no sangue. Quando ele é ingerido de forma exagerada, o que é bem comum, então se transforma rapidamente em glicose que é liberada irregularmente na corrente sanguínea. Isso gera uma enorme tendência de causar picos glicêmicos, sendo prejudicial à saúde, porque está em um nível muito alto.
Por consequência do alto nível de glicose no sangue, o pâncreas é estimulado a liberar insulina no sangue provocando um triplo comando da obesidade. Segue abaixo algumas consequências:

*Armazenagem: o alto nível de glicose no sangue é transformado em gordura.
*Quando há o excesso de glicose no sangue o organismo não queima a gordura localizada.
*No processo de liberação de insulina no sangue, a taxa de glicose diminui drasticamente e o cérebro, que consome muita glicose, leva a informação de que necessita de glicose para o seu bom funcionamento, o que provoca a vontade de comer mais doce.
Quando você decidir consumir açúcar, lembre-se de dar lugar ao melado, mascavo ou o mel. Eles são mais saudáveis, pois contém micronutrientes. Já o açúcar refinado deve ser evitado, pois ele é um produto sintético e muito concentrado em sacarose e ainda contém aditivos químicos.
O brasileiro tem o mau hábito de consumir açúcar em excesso. Uma pesquisa de nível mundial revelou que o brasileiro consome em média de 3 a 6 vezes o permitido diariamente de açúcar e isso não é só quando adoça o chá, se reflete também quando come doces em geral.
O objetivo deve ser eliminar o açúcar ou, pelo menos, controlar o seu consumo, onde a média ideal é de 2 a 3 colheres de sopa por dia.
Colabore com a sua saúde, não consuma açúcar!

9.5.15

FICAR EM JEJUM EMAGRECE?

Na busca pelo corpo desejado, muitas pessoas optam por estratégias rigorosas para o emagrecimento. Um raciocínio muito comum é diminuir drasticamente a quantidade de alimentos que são ingeridos ou até mesmo passar longos períodos sem se alimentar, ou seja, em jejum.

A adoção de estratégias como essa pode expor o nosso corpo a deficiência de muitos micronutrientes que são fundamentais para o funcionamento do metabolismo. Além disso, a possibilidade de reganho de peso, o temido efeito sanfona, é enorme.
PARA O SUCESSO DA SUA REEDUCAÇÃO ALIMENTAR, VOCÊ DEVE COMER DEPOIS 5 HORAS 
Na busca pelo corpo desejado, muitas pessoas optam por estratégias rigorosas para o emagrecimento. Um raciocínio muito comum é diminuir drasticamente a quantidade de alimentos que são ingeridos ou até mesmo passar longos períodos sem se alimentar, ou seja, em jejum.
PERDER
PESO NÃO É
SINÔNIMO DE
PASSAR FOME.
FIQUE ATENTO.

2.5.15

CORAÇÃO SAUDÁVEL

Para garantir um coração saudável, os médicos e os profissionais de educação física recomendam um remédio milagroso: movimentar o corpo. Quando fazemos exercícios regularmente, o coração trabalha com mais eficiência, sem ter que fazer tanto esforço, o sangue flui melhor e as artérias e vasos ficam mais flexíveis e saudáveis. Tudo isso previne o risco de doenças cardiovasculares, como infarto, colesterol alto, acidente vascular cerebral (derrame) e hipertensão arterial (pressão alta).
Enquanto uma pessoa sedentária tem de 80 a 100 batimentos por minuto, uma pessoa condicionada tem entre 60 e 70 batimentos por minuto. Pode parecer pouco, mas essa melhora na eficiência diminui em 40% o risco de complicações cardiovasculares.
Para favorecer o sistema cardiovascular, os exercícios precisam elevar a frequência cardíaca. Isso ocorre com a prática de exercícios como caminhada, bicicleta, natação, corrida e treinos funcionais.
............................................................................................................................................
Você não precisa passar várias horas na academia todos os dias para proteger o coração. Segundo estudo realizado por pesquisadores da Universidade de Harvard (EUA), mesmo pequenas quantidades diárias de atividade física podem reduzir o risco de doença cardíaca. Para a melhoria da circulação sanguínea e ganho de condicionamento físico o mais importante é que a atividade física seja feita com regularidade, pois seus efeitos benéficos não são imediatos.

25.4.15

FLEXIBILIDADE

A flexibilidade e o alongamento são qualidades essenciais para a realização de movimentos, sejam eles na atividade física ou na simples realização de atividades da vida cotidiana.
O termo alongamento é usado para descrever a técnica utilizada para melhorar a flexibilidade, por meio de elasticidade muscular. A flexibilidade é considerada como um importante componente da aptidão física, relacionada à saúde e ao desempenho nas atividades físicas.Alongar favorece a mobilidade e diminui o risco de lesões, aumentando a qualidade e quantidade de movimentos, além de uma melhora na postura corporal.

11.4.15

MITO OU VERDADE: REPOLHO, COUVE-FLOR E BRÓCOLIS CAUSAM GASES?


Dores e desconfortos são os seus principais sintomas. Só quem sofre com gases é capaz de explicar os diversos infortúnios e transtornos que ele pode gerar. E quando você fala para alguém que tem o problema, logo a pessoa se transforma em um especialista e começa a opinar e questionar a sua dieta.
“Você come muito repolho?” talvez seja a pergunta mais presente nessas horas. Um conhecimento muito comum na sociedade, mas que nem sempre ouvimos da boca de pessoas que são, de fato, habilitadas para falar do assunto. Será que realmente consumo de alimentos como brócolis e repolho potencializam a possibilidade de se ter gases? E a resposta é “sim”.


E a lista é maior: couve-flor, couve mineira, couve de Bruxelas, mostarda, feijão, grão de bico… também protagonizam o agravamento dos temidos e indesejados gases. Segundo especialistas, esses alimentos possuem uma proteína muito rica em aminoácidos sulfurados.
Quando eles chegam ao tubo digestivo sofrem um processo de fermentação através da utilização de bactérias intestinais e óxido de enxofre (que é um gás que possui um cheiro não muito agradável).  O odor não é o principal chateador, a produção de gases atrapalha a digestão, por isso que é recomendada a ingestão moderada dos vegetais que têm esse “poder” desagradável.
Não vale cortar de vez os alimentos. A questão toda está na moderação. Outras dicas como, por exemplo, evitar misturar vegetais que corroborem na formação de dos gases numa mesma refeição. Misture-os com outras composições para que os “efeitos colaterais” sejam amenizados.