27.6.15

MITO OU VERDADE? COMER SEMPRE OS MESMOS ALIMENTOS FAZ MAL À SAÚDE

rpga
Sempre abro espaço para desvendar algumas afirmações sobre dieta e alimentação que muitos fazem baseando-se em relatos populares ou conhecimentos criados a partir de lendas ou fatos isolados. Aqui utilizamos a ciência para mostrar o que é mito e o que é verdade, já que muitas das crenças se confirmam quando estudadas por pesquisadores.  Atualmente muito tem se discutido sobre a importância de se diversificar na alimentação. Ter uma dieta vasta ajuda o corpo a absorver adequadamente todas as propriedades que ele necessita.
Dentro desse assunto, surge então uma afirmação que, vez ou outra, ouvimos por aí: comer os mesmos alimentos, sem variar no cardápio, pode trazer danos à saúde. E, diante de tudo que nós já falamos aqui, é possível perceber que essa é uma verdade bastante óbvia, levando em consideração a complexidade do nosso corpo frente à limitada quantidade de nutrientes que o corpo utilizará.
01salada01032013
A utilização dos mesmos alimentos, sem a variação, não fornece tudo o que o ser humano necessita. Cada fruta, verdura, massa ou mesmo gorduras ingeridas contêm vitaminas e minerais específicos. Eles apresentam deficiências em determinados nutrientes, esses são compensados com outros tipos de refeição. Por isso é importante sempre ter um equilíbrio na dieta para que o corpo sempre seja bem abastecido com tudo o que ele necessita para funcionar adequadamente.
Portanto, mais uma vez o conhecimento popular se confirma, mas nunca se esqueça de que quando ouvir uma afirmação procure um especialista para conferir se a história realmente se comprova na prática. Se preferir, escreva para mim. Será muito bom contar com a sua participação.

20.6.15

INVERNO: CUIDADOS NA PRÁTICA DE EXERCÍCIOS FÍSICOS

Cuidados na prática de exercícios físicos no inverno
Estamos naquela estação do ano em que a vontade de ficar debaixo das cobertas fala mais alto do que sair pra caminhada. E ainda por cima se alimentando com comidas pouco leves e que garantem o aconchego quente do lar: chocolates quentes, massas, fondues… Ou seja, “estação do urso”, que só fica em casa.
A queda na temperatura faz com que aconteçam algumas alterações no organismo e a tão famosa preguiça que nos afasta das atividades. Entretanto, o que as pessoas não sabem é que a interrupção da atividade física, principalmente no inverno, fragiliza o organismo. A prática regular de exercícios aumenta a resistência orgânica do indivíduo.
A prática de atividades nessa época do ano pode acarretar melhorias no sono e no apetite. Com o clima mais frio, o corpo irá queimar mais calorias para manter-se aquecido, aumentando seu próprio calor. Dessa forma, quem pretende perder peso pode beneficiar-se com essas mudanças fisiológicas do corpo gerado pelo frio.
Mas mesmo que depois de alguns minutos o corpo esquente com os exercícios, são necessários alguns cuidados para a prática dos mesmos:
                                         Cuidados na prática de exercícios físicos no inverno
  • O ideal é usar roupas leves, como calça e casaco de moletom.
  • Blusas impermeáveis não são recomendadas e nem plásticos filmes em volta do corpo, pois pode ocorrer uma desidratação.
  • O corpo em repouso leva mais tempo para atingir a temperatura ideal para atividade física, por isso é importantíssimo aquecer e alongar.
  • Hidrate-se antes, durante e depois.
No Brasil o inverno tende a ser seco, provocando assim uma indisposição para os exercícios físicos. Procure se alimentar com frutas, legumes e muito líquido. A hidratação é essencial para que o corpo não sinta tanto o clima seco.
Lembre-se sempre que a prática de atividade física diminui riscos de doenças e torna seu dia a dia mais agradável, melhorando humor, pele, comportamento e você terá uma saúde extremamente saudável.

13.6.15

VOCÊ SABE POR QUE É IMPORTANTE SE CONCENTRAR NA COMIDA QUANDO ESTÁ SE ALIMENTANDO?

Hoje em dia na nossa sociedade contemporânea não conseguimos ter tempo de fazer tudo. Diante dessa falta de tempo, cometemos um erro muito grave: comer enquanto estamos fazendo outras coisas. Muitas vezes nos alimentamos na frente da televisão, do computador, do celular ou tablets. Esse hábito acaba impedindo o foco na quantidade e no conteúdo que estamos comendo.
Quando estamos concentrados na alimentação conseguimos saborear a experiência daquilo que estamos vivendo, ou seja, olhamos a comida, sentimos o cheiro e então começamos a comer. Esse exercício de concentração acaba conectando as sensações fisiológicas ao nosso cérebro, ou seja, temos uma sensação de saciedade no momento em que estamos satisfeitos. Quando isso não acontece, comemos exageradamente porque não percebemos o que estamos fazendo.
A CONCENTRAÇÃO É SUPER IMPORTANTE PARA EVITAR EXAGEROS. TENHA FOCO NO QUE ESTÁ FAZENDO NA HORA DE SE ALIMENTAR.

5.6.15

DESCUBRA COMO TER UMA BOA NOITE DE SONO

O SONO É UM MOMENTO DE DESCANSO FÍSICO E MENTAL. HÁ MUITO TEMPO AS FUNÇÕES DO SONO VÊM SENDO ESTUDADAS E PODE-SE DESTACAR SUA RELAÇÃO COM A MELHORA EM ALGUNS ASPECTOS IMPORTANTES, COMO O APRENDIZADO, A MEMÓRIA E O METABOLISMO DE UMA FORMA GERAL.
Não há dúvida nenhuma de que a qualidade do sono está intimamente relacionada com a alimentação e o ritmo de vida. Pessoas que tem um trabalho muito estressante tendem a ter uma piora na qualidade do sono, aliado a isso a falta de horas de sono adequada pode promover o aumento do estresse formando assim um ciclo vicioso.
No que diz respeito à alimentação, já existem dados científicos que sugerem que uma alimentação não saudável está associada a menor duração e padrão irregular do sono; além disso, alguns alimentos ou nutrientes específicos atuariam melhorando o sono, como, por exemplo, alimentos fontes de triptofano, vitaminas do complexo B, magnésio e zinco.
QUAIS ALIMENTOS PODEM AJUDAR?
Leguminosas, semente de abóbora, vegetais de coloração verde escura, kiwi, cereja entre outros.

A ingestão desses alimentos deve seja feita cotidianamente. Além disso, é muito importante controlar os níveis de estresse, uma boa opção é a adoção da prática regular de atividade física! Mude seus hábitos e durma melhor!

30.5.15

VOCÊ CONHECE OS BENEFÍCIOS DO GENGIBRE?

O gengibre é utilizado há mais de 2.000 anos. Depois de um tempo popularizou-se pelos seus efeitos benéficos a saúde.

É uma especiaria amplamente usada para aliviar sintomas como inflamação, doenças reumáticas e desconfortos gastrintestinais.
Dentre os seus benefícios comprovados cientificamente podemos citar propriedades:

 Anti-inflamatórias;
 Antináuseantes;
 Antiúlceras;
 Hipoglicêmicas;
Antibacterianas;
 Termogênicas.
O gengibre pode ser consumido cru, na forma de chá e em diversas preparações como mix de frutas e legumes, sopas... Basta usar a criatividade e inserir esse alimento riquíssimo em sabor no seu dia-a-dia.

Se você deseja emagrecimento, a melhor forma é consumi-lo cru. Acrescente raspas de gengibre às preparações depois de prontas, na hora de consumir.

23.5.15

RESPIRAÇÃO DIAFRAGMÁTICA É IDEAL EM MOMENTOS DE ESTRESSE; APRENDA A FAZER

                                                   
No mecanismo respiratório existe um músculo que separa o tórax do abdômen chamado diafragma.
O diafragma funciona como uma membrana fazendo com que o abdômen se expanda e se comprima conforme a respiração ocorre. Na inspiração ele desce, expandindo o abdômen e arrastando consigo a base do pulmão, o que aumenta seu volume interno e a sucção do ar. Na expiração, o diafragma vai para cima, comprimindo os pulmões e expulsando o ar.
Esse mecanismo vai se perdendo com a vida sedentária, de modo que em muitas pessoas é como se o diafragma não existisse mais, pois não faz mais esse trabalho. Resta somente a respiração com a parte superior dos pulmões, o que a deixa mais breve e rápida. A repercussão disso é uma menor oxigenação do organismo, bem como o possível aumento de sintomas de ansiedade; uma vez que respirar de maneira rápida causa mudanças fisiológicas, acelerando nosso batimento cardíaco.

Respiração diafragmática
A respiração diafragmática ou respiração profunda é chamada assim porque expande o diafragma e leva o ar rico em oxigênio até o abdômen. É através dessa técnica que se consegue aumentar significantemente a capacidade volumétrica dos pulmões em mais do dobro. Desse modo todo o corpo é mais oxigenado, inclusive o cérebro.
A respiração diafragmática pode ser utilizada por todos nos momentos de tensão e estresse. É o primeiro passo para restabelecer o equilíbrio e também para o relaxamento, desconstruindo o mecanismo de luta ou fuga causado pela respiração torácica. Também é uma excelente ferramenta para quem tem dificuldades para dormir e mesmo para eventos ligados à síndrome do pânico.

Respiração diafragmática: como fazer
• Coloque-se de forma confortável sentado ou deitado;

• Coloque a mão no abdômen (barriga) próxima ao umbigo;

• Feche os olhos e concentre-se em sua respiração;

• Inspire pelo nariz e encha os pulmões de ar, leve-o até o abdômen, percebendo que ele se movimenta. Você pode imaginar que está enchendo uma bexiga que está dentro de sua barriga. Ao inspirar conte até quatro (mentalmente) para que o pulmão e o abdômen fiquem expandidos;

• Retenha o ar por dois tempos (conte até dois mentalmente), mantendo a barriga e os pulmões cheios;

• Expire lentamente pela boca, contando até cinco, esvaziando completamente o pulmão e o abdômen;

• Reinicie os movimentos após reter os pulmões vazios por dois tempos.
Procure efetuar os movimentos respiratórios de tal forma que haja pouco movimento torácico (movimento do peito) e mais movimentos abdominais (movimento de barriga).

Repita dez vezes a respiração ou pratique por aproximadamente três a cinco minutos. Caso você sinta tontura ou veja “bolinhas” ao abrir os olhos, saiba que isso é normal e vai desaparecer. Isso acontece, porque o cérebro recebe mais oxigênio do que está acostumado, mas é interessante ir adaptando o ritmo de forma que fique confortável e não gere sensação de náusea.
É importante que você aprenda a fazer a respiração treinando-a pelo menos uma vez ao dia para ir acostumando seu organismo e torná-la aos poucos mais automática. 

16.5.15

REDUZA O CONSUMO DE AÇÚCAR EM NOME DE SUA SAÚDE


os riscos do açucar
O açúcar é um alimento muito energético, onde sendo consumido com outros alimentos glicêmicos ou até mesmo puro, funciona como uma injeção de glicose direto no sangue. Quando ele é ingerido de forma exagerada, o que é bem comum, então se transforma rapidamente em glicose que é liberada irregularmente na corrente sanguínea. Isso gera uma enorme tendência de causar picos glicêmicos, sendo prejudicial à saúde, porque está em um nível muito alto.
Por consequência do alto nível de glicose no sangue, o pâncreas é estimulado a liberar insulina no sangue provocando um triplo comando da obesidade. Segue abaixo algumas consequências:

*Armazenagem: o alto nível de glicose no sangue é transformado em gordura.
*Quando há o excesso de glicose no sangue o organismo não queima a gordura localizada.
*No processo de liberação de insulina no sangue, a taxa de glicose diminui drasticamente e o cérebro, que consome muita glicose, leva a informação de que necessita de glicose para o seu bom funcionamento, o que provoca a vontade de comer mais doce.
Quando você decidir consumir açúcar, lembre-se de dar lugar ao melado, mascavo ou o mel. Eles são mais saudáveis, pois contém micronutrientes. Já o açúcar refinado deve ser evitado, pois ele é um produto sintético e muito concentrado em sacarose e ainda contém aditivos químicos.
O brasileiro tem o mau hábito de consumir açúcar em excesso. Uma pesquisa de nível mundial revelou que o brasileiro consome em média de 3 a 6 vezes o permitido diariamente de açúcar e isso não é só quando adoça o chá, se reflete também quando come doces em geral.
O objetivo deve ser eliminar o açúcar ou, pelo menos, controlar o seu consumo, onde a média ideal é de 2 a 3 colheres de sopa por dia.
Colabore com a sua saúde, não consuma açúcar!